Cabindan Human Rights Lawyer

11 July 2006

Cabindan Human Rights Lawyer member of both the Angolan and Portuguese Bar Association is barred from travelling to Luanda to defend Human Rights Violations occurring in Cabinda by the Angolan army.

"Acabamos de receber uma informação de Cabinda", de que o "Dr. Martinho Nombo", Advogado de e em Cabinda, "foi impedido, esta manhã, de viajar de Cabinda para Luanda", pela polícia aero portuária, sem lhe dizerem o porquê e quando ia para uma Reunião, do Conselho Nacional da Ordem dos Advogados Angolanos, do qual é Membro. Mais informo, que o Dr. Martinho Nombo, é também Membro da Ordem dos Advogados de Portugal.

Venho igualmente informar, que o Dr. Martinho Nombo, é Advogado de Defesa, no caso do Processo movido pelo Ministério Público Angolano, para Ilegalização da Associação Cívica de Cabinda, Mpalabanda.

"Há ainda outros dois Advogados de Defesa, no processo da Associação Cívica de Cabinda Mpalabanda, que são o Dr. Francisco Luemba, de Cabinda e o Dr. Luís Nascimento de Luanda".

Lembro igualmente, que há pouco tempo atrás, foram impedidos de viajar, desta vez para o Congo (Brazzaville), o Sr. Padre Congo e o Sr. Engenheiro Agostinho Chicaia, também sem razões apresentadas e lhes "foram apreendidos", até hoje, os respectivos passaportes, Também pela polícia aero portuária, sem justificação alguma e alegando serem ordens superiores,
emanadas de Luanda.


INDEX