Themudo Barata guarda provas que explicam a situação de Cabinda

DESVENDA O SEGREDO

 

 

Themudo Barata, último governador de Cabinda

 

O último governador administrativo de Cabinda, Themudo Barata, guardou durante 28 anos documentos que explicam porque é que os movimentos independentistas não participaram nas negociações entre Portugal e Angola.

16:49 26 Fev. 2002

Há 28 anos que Themudo Barata guarda a história dos últimos dias em que esteve em Cabinda como administrador, são cartas e telegramas que lhe foram enviados por Lisboa durante o processo que levou à descolonização de Angola. Guarda-os para poder um dia escrever a história do enclave, mas decidiu mostrar alguns ao padre Jorge Congo, conhecido como o padre revolucionário de Cabinda.

Um dos documentos surpreendeu, em particular, o padre Congo. É um "telegrama para a presidência da república do almirante Rosa Coutinho…, no qual ele diz: estou procurando agir com o melhor tacto mas temo que quando se divulgar a aliança registada entre nossas companhias e tropas do MPLA", explicou à SIC Themudo Barata.

Este documento tem data de Novembro de 1974 e foi enviado por Rosa Coutinho para alegadamente travar os contactos que Themudo Barata andava a fazer com responsáveis da FLEC, ordenados pelo general Spínola para que o então administrador de Cabinda convocasse uma delegação da FLEC para reunir com Lisboa.

Em Lisboa a meio de uma viagem para Roma, o padre Jorge Congo não imaginava que nesta visita de cortesia ao general Themudo Barata iria encontrar documentos tão importantes.


Questionado pela SIC sobre qual dos documentos é que de facto o impressionou, o padre Congo respondeu que "o documento que me impressionou foi aquele artigo escrito por Rosa Coutinho a dizer que estava um bocado atrapalhado com a aliança que tinham feito com o MPLA".

O general Themudo Barata tenta justificar porque é que, nos acordos Alvor, Portugal só negociou com o MPLA, a UNITA e a FNLA, deixando de fora a Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC).

"Se houvesse lentidão no processo e clareza, Cabinda poderia ter tido outra solução e devia ter outra solução, quanto a mim", defendeu. O antigo administrador considera, assim, que se o processo de descolonização de Angola tivesse sido feito de outra maneira, talvez Cabinda não fosse hoje só mais uma província de Angola.

 

List of the Governor of Cabinda under the Protectorate of Portugal between 1949 and 1974

1949 to 56 – Intendant Ismael Pais
1956 - Dr Joao Baptista Duarte Pinheira
1956 to 57 – Captain Jaime Antonio Tavares Machado Banazol
1957 to 58 – Administrative Inspector Norberto Augusto Lopes
1959 to 61 – Administrative Inspector Jose Paulo Paixao Barradas
1961 to 63 – Colonel Julio de Araujo Ferreira (Tomar)
1964 to 65 – Colonel Artur Joao Cabral Carmona
1965 to 66 - Brigadier Adriano Augusto Pires
1966 to 68 – Brigadier Joao Tiroa
1968 to 70 – Brigadier Americo Eurico Agostinho Mendoca Frazao
1970 to 71 – Brigadier Eurico Ferreira Goncalves
1971 to 72 – Brigadier Joao Antonio Pinheiro
 

1972 to 74 – Brigadier Manuel Freire Themudo Barata

The last governor or Cabinda left by pressure of the Communist military officers which where in control and Brigadier Barata was slap in the face in the airport of Cabinda by the MPLA members.

 

O ultimo Governador do Protecturado de Cabinda, Home com colhoes que recusou dar Cabinda aos Cubanos ao MPLA, foi esbofetiado no aeroporto de Cabinda pelos homens do Regime do MPLA. Um Homen com colhoes que foi fudido pelos comunistas em portugal de merda que forzarao a tomada de Cabinda e a entregaram aos filhos da puta dos Cubanos e a merda do regime do MPLA. O que vez Cabinda uma populacao indefesa sem armas abandonada aos maos do Cubanos e entregue aos filhos da Puta do MPLA. O que e' que fez Cabinda para a merda da republica falida de portugal ter fudido pelo cu a Republica de Cabinda.

 

Viva Cabinda!
Abaixo a Merda da Republica falida de Portugal Abaixo a Merda do MPLA Abaixo os Cubanos de Fidel Castro

 


 

INDEX - INDICE

cabinda@gmail.com